O rádio brasileiro teve sua era de ouro por volta da década de 30, quando era o principal meio de comunicação das massas. Porém, com o avanço das tecnologias e a invenção de outros meios de comunicação como a televisão, o rádio foi perdendo espaço gradualmente e, por vezes, chegou-se a especular sobre a sua extinção.

Porém, atualmente com a popularização dos podcasts, o rádio volta a ganhar espaço em meio a comunicação tecnológica. “O rádio dinamizou a sua forma de comunicar, trazendo um pouco da TV para dentro da programação. Antigamente, não havia câmeras nos estúdios mostrando os bastidores de um programa de rádio. Hoje, existem emissoras que transmitem tanto em áudio como em vídeo”, explica o radialista e consultor musical, Helton Lucas.

Para ele, a chegada dos podcasts e a febre generalizada que eles causaram no país é a representação de uma nova fórmula de manutenção do rádio. “Com os podcasts, o rádio consegue aumentar a audiência. Até porque, além da televisão, hoje nós temos uma diversidade de transmissão muito grande com as redes sociais e o Youtube”, opina.

Com a popularização das redes sociais, o especialista defende que é possível conquistar um público fiel, visto que a internet permite a busca por assuntos de interesses individuais. “É uma oportunidade de expansão muito boa, porque não há necessidade de esperar. O rádio está constantemente se renovando”, detalha.

“O rádio jamais terá seu fim decretado”, pontua o radialista. Helton defende que o rádio é um dos meios de comunicação mais eficazes, mesmo que seja um dos mais antigos. “O rádio ultrapassa fronteiras, dificuldades e se mantém sempre. O rádio é dinamismo e é feito por pessoas que pensam à frente do seu tempo. O podcast só existe hoje por conta das rádios”.


Por Helton Lucas