A recomendação agora é de isolamento de sete a dez dias para pessoas que apresentem sintomas e de cinco a sete dias para os assintomáticos.

Na última semana, o ministro da Saúde, Marcelo Queirogadisse que a pasta poderia reduzir o isolamento.

Ao falar sobre essa possibilidade, o ministro citou que o CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos) já deu essa recomendação.

A indicação do Ministério da Saúde é que a pessoa assintomática fique em casa no mínimo cinco dias em isolamento. Após esse tempo ela deve ser testada. Com o teste positivo, deve ficar em isolamento até o 10° dia.

Não é necessário testar os assintomáticos, porém, para sair do isolamento após o sétimo dia.

Já para os sintomáticos, o isolamento é de no mínimo sete dias. A pessoa precisa ser testada ao final do período. Caso o resultado seja negativo, ela pode sair do isolamento. Com o resultado positivo, ela deve permanecer em isolamento até o décimo dia.

“Nosso isolamento é de no mínimo sete dias. Entretanto, se no quinto dia completo o paciente estiver sem sintoma, sem sintoma respiratório, sem febre e sem uso de medicamento antitérmico há pelo menos 24 horas, pode testar no quinto dia”, disse Arnaldo Medeiros, secretário de Vigilância da Saúde do Ministério da Saúde.

Medeiros disse que as pessoas que saírem do isolamento antes do décimo dia devem manter, no entanto, alguns cuidados.

“[A pessoa deve] manter as recomendações adicionais até o décimo dia, como evitar aglomerações, contatos com pessoas com comorbidade, uso das medidas não farmacológicas [como higienização das mãos e uso de máscara] até o décimo dia para ficar tranquilo”, disse.

As novas regras são anunciadas em meio a uma alta de casos de Covid-19 por conta da variante ômicron. Queiroga disse que o Brasil segue o exemplo de alguns países em que o aumento de casos não tem se refletido no número de mortes.

“Sem dúvida a variante ômicron causa um número muito maior de casos, mas felizmente não temos uma correspondência do número de óbitos. Vai ser sempre assim? Não sabemos”, apontou o ministro.

AS ORIENTAÇÕES DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

Isolamento de 5 dias

Casos sem sintomas: ao quinto dia, se o paciente estiver sem sintomas respiratórios, sem febre e sem uso de medicamentos antitérmicos, por ao menos 24 horas, precisa ser testado para deixar o isolamento

Testagem: deve ser feita no quinto dia com RT-PCR ou teste de antígeno

Se o resultado for negativo: a pessoa pode sair do isolamento, mas deve manter recomendações adicionais até o décimo dia (leia ao final da lista)

Se o resultado for positivo: é necessário manter o isolamento até dez dias completo

Isolamento de 7 dias

Casos sem sintomas: ao sétimo dia, se o caso estiver sem sintomas respiratórios, sem febre e sem uso de medicamentos antitérmicos, por ao menos 24 horas, o isolamento pode ser encerrado

Testagem: não é necessária para sair do isolamento nessas condições, segundo a nova orientação da Saúde

Como funciona o fim do isolamento: quem sai da quarentena após sete dias completos ainda precisa, porém, manter alguns cuidados até o décimo dia (leia ao final)

Isolamento de 7 dias

Casos com sintomas: as pessoas que tiveram a forma sintomática da Covid, mas que não apresentarem no sétimo dia sintomas respiratórios, febre e não tiverem necessidade de fazer o uso de medicamentos antitérmicos, por ao menos 24 horas, podem fazer teste para tentar deixar o isolamento

Testagem: os testes devem ser do tipo RT-PCR ou de antígeno

Se o resultado for negativo: o paciente pode sair do isolamento

Se o resultado for positivo: é necessário manter o isolamento até o décimo dia

Isolamento de 10 dias

Casos com e sem sintomas: ao décimo dia, se o caso estiver sem sintomas respiratórios, sem febre e sem uso de medicamentos antitérmicos, por ao menos 24 horas, está encerrado o isolamento

Testagem: não é necessário testar para sair do isolamento

Recomendações que devem ser seguidas até o décimo dia

Evitar contato com pessoas com comorbidades

Evitar aglomerações

Evitar viagens

Manter cuidados não farmacológicos, como higienização das mãos e uso de máscara

Ministério da Saúde