O Ceará comemora neste dia 25 de março o feriado da “Data Magna” , relembrando a abolição dos escravos. A data foi instituída por lei em 6 de dezembro de 2011. O Estado foi a primeira província brasileira a libertar os escravos, em 25 de março de 1884, quatro anos antes da abolição da escravatura no Brasil.

CHICO DA MATILDE- DRAGÃO DO MAR

O líder jangadeiro Chico da Matilde entrou para a história do Brasil como herói abolicionista, sob a alcunha de Dragão do Mar, após ter deflagrado a greve dos jangadeiros, no Porto de Fortaleza, em 1881, interrompendo o transporte de escravos na região.

O Ceará seria a primeira província brasileira a abolir a escravidão, em 1884, quatro anos antes da assinatura da Lei Áurea. Na ocasião, Chico da Matilde embarcou com seus companheiros para o Rio de Janeiro, onde participou das comemorações pela abolição no Ceará e, junto com ele, levou embarcada uma de suas jangadas, nomeada Liberdade. A recepção e as comemorações abolicionistas na Corte ajudaram a consolidar a alcunha de Dragão do Mar. A edição 376 da Revista Illustrada, que reportou as comemorações, homenageou Francisco José do Nascimento na sua capa, com uma ilustração de Angelo Agostini.

Conheça alguns fatos históricos relacionados ao homem cuja garra e sonho de liberdade inspiraram a criação do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura de Fortaleza e seguem inspirando hoje, mais do que nunca, ideais de liberdade e igualdade pelo País:

– Chico da Matilde- Francisco José do Nascimento, nasceu no dia 15 de abril de 1839, em Aracati, município no litoral leste do Ceará.

– Filho do pescador Manoel do Nascimento e de Dona Matilde Maria da Conceição, aprendeu a ler aos 20 anos de idade.

– Em seguida, torna-se chefe dos catraieiros (condutores de bote), trabalha na construção do Porto de Fortaleza, vira marinheiro e finalmente é nomeado prático da Capitania dos Portos.

-Em 1881, o líder dos jangadeiros cravou seu nome na história como o lendário Dragão do Mar, deflagrando a greve dos seus companheiros.

-A ousadia e coragem de Chico paralisaram o mercado escravista no Porto de Fortaleza nos dias 27, 30 e 31 de janeiro desse ano. Chico da Matilde tinha 42 anos.

-Com a greve, é demitido. Três anos depois, com a libertação dos escravos no Ceará, Chico da Matilde leva “Liberdade”, sua jangada, embarcada no barco negreiro Espírito Santo para o Rio de Janeiro. Mas a Liberdade ganha asas e toma rumo incerto.

– Até hoje, não se sabe o destino da Liberdade, que uniu cearenses e permanece no imaginário de todos como a vitória concreta da solidariedade do nosso povo, do sertão ao litoral. Ao lado da vela, segue a imagem guerreira e emblemática do Dragão do Mar.

EM TEMPO

Apesar da “Data Magna” ser comemorada em 25 de março, alguns historiadores consideram que o início da abolição ocorreu um ano antes, em 1º de janeiro de 1883, na Vila do Acarape, atual município de Redenção. Nesse dia, um ato realizado em frente à igreja Matriz foi marcado pela entrega de cartas de alforria para 116 escravizados da região.  

CN